Práticas de contabilidade e controlo de gestão no setor automóvel

Accounting and management control practices in the automotive sector

  • Isabel Gomes Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto
  • Amélia Cristina Ferreira-da-Silva CEOS.PP - Centro de Estudos Organizacionais e Sociais do Politécnico do Porto
  • José Vale CEOS.PP - Centro de Estudos Organizacionais e Sociais do Politécnico do Porto
  • Anabela Martins Silva Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho
Palavras-chave: Teoria Institucional, Isomorfismo, Contabilidade e Controlo de Gestão, Indústria Automóvel, Instrumentos, Estudo de Caso

Resumo

A indústria automóvel foi muitas vezes considerada o berço de filosofias de gestão e de práticas de contabilidade e controlo de gestão inovadoras. Várias são as teorias que concorrem para explicar as motivações dos gestores na escolha do modelo de contabilidade e controlo de gestão nas organizações. A Nova Sociologia Institucional interpreta o comportamento das organizações integrando-as no contexto em que estas operam e explica o processo de adoção de práticas, regras e rotinas (instituições) de gestão como um mecanismo de adaptação ao meio, em busca de legitimação.

Adotando esta perspetiva teórica, este trabalho pretende identificar os principais instrumentos de controlo de gestão utilizadas pelas empresas multinacionais da indústria de montagem automóvel a operar em Portugal e identificar as motivações que sustentaram a decisão de as implementar.

Nesta investigação realizamos um estudo de caso múltiplo, analisando comparativamente quatro organizações. Os dados foram recolhidos a partir de múltiplas fontes, designadamente: entrevistas semiestruturadas, documentos e observação direta.

Os resultados sugerem a existência de práticas isomórficas de contabilidade e controlo de gestão. No entanto, serão necessários estudos longitudinais para compreender como e porquê ocorrem estes processos de isomorfismo.

Publicado
2020-04-11