https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/issue/feed e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2021-09-09T18:46:43-04:00 Áurea Sandra Toledo de Sousa editor-chefe_e3@ponteditora.org Open Journal Systems <p>Sob o lema de Fernando Pessoa: “A minha pátria é a língua portuguesa”, a <strong>e<sup>3</sup> </strong>é uma publicação vocacionada para difusão de ciência em Português, atuando no espaço da lusofonia e da comunidade dos países de língua portuguesa. A linha editorial centra-se na área dos negócios, transversal a disciplinas como a economia, gestão, contabilidade, finanças, recursos humanos, marketing, entre outras. D<span class="color_29">isponibiliza os dados e publicações em regime de acesso aberto. Atua no mercado&nbsp;editorial, numa lógica de </span>responsabilidade social e de transferência de conhecimento para a sociedade.</p> https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/382 As compras online e o comportamento dos consumidores 2021-09-01T06:08:51-04:00 Diogo Perestrelo do Rosário httperestrelosec@gmail.com João Correia ajoavcorreia@gmail.com Bernarda Rafaela da Silva Barbosa bernardasilva2014@gmail.com Emanuel Dinarte Mendonça Neto emanueldinarte@gmail.com Luís Filipe Seixas Sardinha luis.sardinha@isal.pt <p style="text-align: justify;">O e-commerceé uma importante ferramenta da atualidade mundial oferecida pelos benefícios da internet. As organizações e toda a sua envolvente são incentivadas ao seu uso em massa como uma maneira rápida e fácil de comprar online. Este estudo, tem como objetivo principal indagar se as compras online fazem parte do quotidiano dos residentes da Região Autónoma da Madeira (RAM) e compreender&nbsp; em que medida as organizações são afetadas pelo consumo online dos seus&nbsp; clientes. Através&nbsp; de&nbsp; um&nbsp; questionário onlineforam&nbsp; obtidas&nbsp; 100&nbsp; respostas.&nbsp; A&nbsp; amostra&nbsp; foi probabilística&nbsp; por&nbsp; conveniência.&nbsp; O&nbsp; instrumento&nbsp; continha&nbsp; questões&nbsp; com&nbsp; resposta&nbsp; de&nbsp; escolha múltipla e avaliações por intermédio da escala de Likert. Cerca de 92% da amostra assume já ter feito compras online. Foi destacado, entre outras, que as principais vantagens das compras onlinesão os preços mais competitivos, a comodidade e variedade de produtos e como desvantagens a impossibilidade&nbsp; de&nbsp; testagem/experimentação,&nbsp; os&nbsp; custos&nbsp; de&nbsp; envio&nbsp; e&nbsp; o&nbsp; tempo&nbsp; de&nbsp; entrega.&nbsp; A frequência&nbsp; de&nbsp; utilização,&nbsp; os&nbsp; gastos,&nbsp; os&nbsp; produtos/serviços&nbsp; adquiridos,&nbsp; os&nbsp; sites&nbsp; utilizados,&nbsp; a satisfação e a influência pela pandemia provocada pela COVID-19 foram algumas das questões abrangidas. No final são apresentadas limitações e recomendações.</p> 2021-08-30T13:04:46-04:00 Direitos de Autor (c) 2021 Diogo Perestrelo do Rosário, João Correia, Bernarda Rafaela da Silva Barbosa, Emanuel Dinarte Mendonça Neto, Luís Filipe Seixas Sardinha https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/439 Análise comparativa do regime fiscal das Zonas Francas na Europa 2021-09-09T18:46:43-04:00 José Campos Amorim j.camposamorim@gmail.com Albertina Paula Monteiro amonteiro@iscap.ipp.pt Catarina Libório Morais Cepêda catarina_cepeda@hotmail.com Gonçalo Rocha Teixeira Faria Coelho goncalofaria12@gmail.com <p>A luta contra a fraude e evasão fiscais tem sido debatida extensamente na literatura. As Zonas Francas estão sujeitas a diferentes regras de tributação relativamente aos países a que estão ligados. Os governos destas zonas têm maximizado os benefícios fiscais para tentar, através destas Zonas, aumentar o seu nível económico, recorrendo à facilidade do planeamento tributário, financeiro e comercial. Dada a importância destas Zonas para o controlo de Fraude e Evasão Fiscais, este estudo visa analisar os regimes fiscais das Zonas Francas da Europa. Ancorada na teoria institucional, esta pesquisa segue uma abordagem qualitativa, utilizando a técnica da análise documental. Os resultados indicam que as Zonas Francas da Europa com tributação mais baixa são a Polonia, a Letónia e a Espanha e que os regimes fiscais mais atrativos são o Luxemburgo, o Reino Unido e a Alemanha, em que está previsto uma isenção de tributação das pessoas coletivas. As Zonas Francas que integram mais colaboradores por empresa são a Croácia e a Lituânia, nomeadamente a Zona Franca de Kaunas, e a Polonia, em especial a <em>Pomeranian Special Economic Zone</em>. Adicionalmente, neste estudo verifica-se que a escolha das empresas pelas Zonas Francas é vista como uma manobra, um esquema e uma política de gestão fiscal que tem como único propósito a fuga aos impostos.</p> 2021-09-09T00:00:00-04:00 Direitos de Autor (c) 2021 José Campos Amorim, Albertina Paula Monteiro, Catarina Libório Morais Cepêda, Gonçalo Rocha Teixeira Faria Coelho