e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3 <p>Sob o lema de Fernando Pessoa: “A minha pátria é a língua portuguesa”, a <strong>e<sup>3</sup> </strong>é uma publicação vocacionada para difusão de ciência em Português, atuando no espaço da lusofonia e da comunidade dos países de língua portuguesa. A linha editorial centra-se na área dos negócios, transversal a disciplinas como a economia, gestão, contabilidade, finanças, recursos humanos, marketing, entre outras. D<span class="color_29">isponibiliza os dados e publicações em regime de acesso aberto. Atua no mercado&nbsp;editorial, numa lógica de </span>responsabilidade social e de transferência de conhecimento para a sociedade.</p> Ponteditora pt-PT e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2183-7201 Metodologia de avaliação do retorno do investimento dos planos de promoção turística em regiões ultraperiféricas – O Caso da Madeira https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/251 <p>No caso de Ilhas Ultraperiféricas, fortemente dependentes do turismo e por inerência dependentes da ligação aérea e marítima aos mercados emissores, é imperioso a análise sistemática dos recursos aplicados em promoção. Assim, desenvolveu-se uma metodologia de análise de viabilidade financeira do retorno expectável desse investimento, atendendo aos planos de promoção elaborados e de acordo com as condicionantes de oferta e procura. Esta metodologia assenta na revisão bibliográfica dos diferentes modelos financeiros de avaliação de investimentos e nos indicadores referidos nos mesmos documentos. &nbsp;No caso particular da Região Autónoma da Madeira, dada a importância que o Turismo detém, a metodologia preconizada pretende ser um instrumento de apoio á decisão, em função do Índice de Rendibilidade em Promoção. Com a aplicação da modelo é possível determinar para o plano de promoção um índice de rendibilidade de promoção de 44,31€, superior ao índice de rendibilidade de promoção histórico de 42,50€.</p> Elvio Camacho Maria Manuela Sarmento Coelho Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 71 98 10.29073/e3.v5i2.251 Uma teoria económica factual, para além das finanças: o caso de Dona Grácia Mendes (Nasi) https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/249 <p>O presente ensaio aborda os negócios e os desafios que os empreendedores enfrentam no quotidiano das suas atividades comerciais, muito para além dos números. Com efeito, por detrás dos negócios existe um conjunto de factos que, com certeza, se refletem financeiramente nas empresas, mas não são suscetíveis de ser captados, muito menos avaliados pelas teorias quantitativas de análise dos negócios, dado a sua origem não ser económica, nem financeira. Assim, no presente ensaio é feita uma análise de caso de uma das mulheres mais empreendedoras e notáveis da época das explorações marítimas portuguesas. Através do seu caso e com recurso a uma análise alternativa às finanças, psicológica e sociológica dos factos sociais, é possível ilustrar que os negócios evidenciam dificuldades financeiras, entram em declínio e perdem-se, mas as causas dessas perdas são sociais e não financeiras, como poderíamos concluir em primeira instância.</p> Eduardo Manuel de Almeida Leite Carlos Machado-Santos Amélia Ferreira da Silva Ricardo Jorge Silva José Manuel Pereira Helena Maria Santos de Oliveira Ana Paiva Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 61 70 10.29073/e3.v5i2.249 Proposta de plano de marketing para uma aplicação digital desenvolvida para cadeias de supermercados da Região Autónoma da Madeira https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/213 <p>O objetivo desta investigação é conceber um plano de<em> marketing </em>adequado ao modelo de negócio da “<em>E-Bill</em>”. O presente artigo procura apresentar um plano de <em>marketing</em> para uma aplicação digital a ser desenvolvida para cadeias de supermercado. O nome da aplicação é “<em>E-Bill</em>” e destina-se aos clientes de supermercado oferecendo diversas funcionalidades que ainda não se encontram no mercado.</p> <p>O plano de <em>marketing</em> tem como objetivos implementação e difusão da nova empresa/marca na Região Autónoma da Madeira, posicionar a aplicação “<em>E-Bill</em>” como <em>user friendly</em> juntos dos clientes do supermercado, contribuindo para o aumento do número de utilizadores da aplicação e número de clientes da própria empresa.&nbsp;</p> <p>Concluiu-se que inovação tecnológica é uma constante do quotidiano da atual sociedade e sendo que o plano de <em>marketing</em> de aplicações tecnologias deve ser adequado. Perspetivas futuras e limitações são discutidas no fim.</p> Luís Filipe Seixas Sardinha Débora Micaela Faria Silva Mónica Maria Canada Martins Pedro Henrique Sousa Nascimento Paulo Sérgio Silva Santos Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 39 60 10.29073/e3.v5i2.213 Criação de Valor em Fusões e Aquisições: O caso dos Bancos Portugueses https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/183 <p>A principal razão indicada para as fusões e aquisições (F&amp;A) que se tem verificado nos últimos vinte anos, é a criação de valor para os acionistas e para a entidade. Vários autores escreveram sobre este tema e se todos concluem que as F&amp;A devem criar valor, na prática tal poderá não se verificar. Por esta razão, achou-se pertinente realizar este estudo, sendo o principal objetivo verificar se as F&amp;A criam realmente valor ou não, para os investidores e organizações envolvidas. A amostra recolhida tem por base algumas F&amp;A registadas no setor Bancário Português. Num primeiro ponto, identificou-se algumas das variáveis estratégicas utilizadas pelos bancos envolvidos na transação. Em seguida, averiguou­‑se se existiu uma criação de valor ou não nos bancos envolvidos no processo de F&amp;A. Depois de se elaborar o estudo, concluiu­‑se que a maioria das fusões abordadas neste estudo criaram valor e que não existe nenhuma relação entre a similaridade estratégica e a criação de valor. Tendo em conta os resultados obtidos, foram mencionadas, ainda, algumas sugestões para a realização de trabalhos futuros.</p> Adalmiro Pereira Ana Rita Pereira Mário Queirós Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 17 38 10.29073/e3.v5i2.183 Revista E3 https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/261 <p>Revista E3: v.5 n.2</p> Ponte editora Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 1 110 10.29073/e3.v5i2.261 Fatores determinantes da rentabilidade bancária: Análise dos maiores bancos brasileiros no período de 2007 a 2017 https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/155 <p class="western" align="justify"><span style="color: #00000a;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><strong>O objetivo deste estudo é analisar os fatores determinantes da rentabilidade do setor bancário brasileiro, medido por três indicadores:</strong></span></span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> Rentabilidade dos Ativos (</span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><em>return on assets</em></span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> - ROA), Rentabilidade do Capital Próprio (</span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><em>return on equity</em></span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> - ROE) e Margem Líquida dos Juros (</span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><em>net interest margin</em></span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> - NIM)</span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT">. </span></span></span><span style="color: #00000a;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT">A metodologia explicativa das variáveis selecionadas consiste em um modelo econométrico que combina as caraterísticas específicas dos bancos, elementos setoriais e variáveis macroeconômicas, obtendo-se estimativas com recurso aos mínimos quadrados ordinários PLS (</span></span></span></span><span style="color: #00000a;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><em>panel least squares-painel</em></span></span></span></span><span style="color: #00000a;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT">) com efeitos fixos.</span></span></span></span> <span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> A amostra é constituída por dados semestrais de um painel dos dez maiores bancos do Brasil em ativos totais, no período compreendido entre 2007 a 2017. Os resultados indicam que a rentabilidade das instituições bancárias brasileiras depende da evolução das suas variáveis específicas, sendo entretanto grandemente influenciado pelos determinantes macroeconômicos, cuja significância estatística é recorrente. Contudo, a preponderância dos fatores explicativos para as </span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><em>proxies </em></span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT">da rentabilidade (ROA, ROE e NIM) não foram uniforme. Os fatores que melhor explicam o indicador ROA são a qualidade dos ativos e a variável exógena do crescimento do produto interno bruto - PIB, enquanto que para o indicador ROE acrescem duas variáveis internas: alavancagem financeira e eficiência. Quando a medida da rentabilidade utilizada é o indicador NIM, as regressões evidenciam um nível explicativo global superior com as seguintes variáveis específicas: alavancagem financeira, qualidade do ativo, liquidez, custo do financiamento e estrutura do ativo, influênciando significativamente na rentabilidade.</span></span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"> Destaca-se também a importância da concentração bancária, do crescimento do PIB e em menor grau da taxa de juro e inflação, como determinantes do NIM.</span></span></span></p> Welber Carvalho Batista Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-24 2020-07-24 5 2 3 16 10.29073/e3.v5i2.155 Editorial https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/259 <p>Editorial v.5 n.2</p> Ana Maria Alves Bandeira Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-07-23 2020-07-23 5 2 1 2 10.29073/e3.v5i2.259 Revista E3 https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/219 <p>Revista completa.</p> Ponte Editora Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-04-11 2020-04-11 5 2 1 117 10.29073/e3.v5i1.219 Editorial https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/218 <p>Editorial v.5 n.1</p> Ana Maria Alves Bandeira Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-04-11 2020-04-11 5 2 1 2 10.29073/e3.v5i1.218 Internacionalização Empresarial no Setor Vinícola: uma Análise da Região Demarcada do Douro https://revistas.ponteditora.org/index.php/e3/article/view/191 <p>Perceber as motivações que levam as empresas a apostar no mercado externo e todo o mecanismo que este processo envolve tem sido um desafio constante para as pesquisas na área dos negócios internacionais. Porém, este não é o único desafio. É igualmente importante conhecer o momento em que esta decisão é tomada dentro da estrutura e evolução de uma organização e prever para como uma empresa de pequenas dimensões se poderá expandir internacionalmente e, posteriormente, se manter nesses mercados. Para estudar estas e outras questões, procedeu-se ao estudo de caso da Região Demarcada do Douro (RDD), internacional por excelência. Foram inquiridas seis quintas, empresas, do setor vitivinícola da região e entrevistados os seus responsáveis. Os resultados mostram boas práticas de internacionalização, a preferência por mercados de saudade e proximidade cultural, iniciando com exportação simples, evoluindo gradualmente para estratégias mais complexas, ultrapassadas as limitações de recursos, falta de experiência e desconhecimento legislativo.</p> Cátia Vasques Tabau Eduardo Leite Direitos de Autor (c) 2019 e3 - Revista de Economia, Empresas e Empreendedores na CPLP 2020-04-11 2020-04-11 5 2 85 114 10.29073/e3.v5i1.191