AS MARGENS VISTAS DE FORA: DOIS FENÓMENOS SINGULARES DA HISTÓRIA DA LITERATURA BRASILEIRA DOS SÉCULOS XX E XXI

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Alva Martínez Teixeiro
https://orcid.org/0000-0002-8156-7732

Resumo

O artigo pretende radiografar dois fenómenos de sinal contrário que marcam a compreensão das ‘margens’ da literatura brasileira contemporânea. Em primeiro lugar, refletiremos sobre a incomum importância que, gradativamente, adquiriu no Brasil a conquista de um ‘lugar de fala’ para representações e discursos não hegemónicos do ponto de vista social e cultural, tais como a literatura periférica ou a literatura migrante. Em segundo lugar e por oposição a essa admirável abertura, que deu uma notável especificidade à literatura brasileira, ponderaremos a permanência de uma certa inflexibilidade relativamente à entrada no cânone brasileiro de certos discursos híbridos e heterodoxos do ponto de vista literário e artístico – tais como as excelentes propostas de Flávio de Carvalho, Hélio Oiticica ou Nuno Ramos –, um fenómeno incompreensível, se tivermos presente a mencionada integração e canonização de outras heterodoxias e ‘margens’ literárias nas últimas décadas e, sobretudo, a centralidade da ‘tradição da antitradição’ na História da Literatura brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Martínez Teixeiro, A. (2022). AS MARGENS VISTAS DE FORA: DOIS FENÓMENOS SINGULARES DA HISTÓRIA DA LITERATURA BRASILEIRA DOS SÉCULOS XX E XXI. Herança - Revista De História, Património E Cultura, 5(2), 141–154. https://doi.org/10.29073/heranca.v5i2.537
Secção
Artigos
Biografia Autor

Alva Martínez Teixeiro, Universidade de Lisboa

ALVA MARTÍNEZ TEIXEIRO (A Coruña, Galiza –Espanha, 1982) é, desde 2012, Professora Auxiliar de Estudos Brasileiros, do Departamento de Literaturas Românicas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), desde 2021, Diretora do Mestrado em Estudos Brasileiros (Faculdade de Letras e Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa) e, desde 2022, Professora Associada Estrangeira do Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). É, igualmente, investigadora integrada no Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias (CLEPUL) da mesma instituição, onde, desde 2020, coordena o ‘Grupo de Investigação 3 — Literatura e Cultura Brasileiras”.
Licenciada em Filologia Portuguesa (2005), pela Universidade de Santiago de Compostela (USC), é Mestre e Doutora em Literatura Brasileira, pela Universidade da Corunha (UDC), respetivamente, com a dissertação «O discurso da violência na literatura brasileira contemporânea – O policial carioca: Rubem Fonseca e Luiz Alfredo Garcia-Roza» (2007) e com a tese «A obra literária de Hilda Hilst e a categoria do obsceno – Entre a convenção e a transgressão: o erótico-pornográfico, o social e o espiritual» (2010, Menção 'Doutor Europeu' e Prémio Extraordinário).
Nos anos 2008 e 2009, foi contrada pré-doutoral na Universidade da Coruña e, de 2012 a 2018, docente de Literatura Brasileira na Licenciatura de Estudos Portugueses da Université Mohammed V (UM5), de Rabat. Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (Bolsa de Investigação de Cultura Portuguesa para Estrangeiros, 2011), para realizar trabalho de investigação sobre a obra literária de Sophia Andresen, numa estadia pós-doutoral de nove meses na Biblioteca Nacional de Lisboa e no Centro de Estudos Humanísticos (CEHUM), da Universidade do Minho; centro e universidade em que foi investigadora externa (2013-2016) do 'Grupo de Estudos Brasileiros em Portugal (GRES)'. Desde 2012, é investigadora colaboradora do 'Grupo de Investigación Lingüística e Literaria Galega (ILLA)', da Universidade da Coruña, desde 2014, do 'Grupo de Estudios Literarios Brasileños Avanzados (ELBA)', da Universidad de Salamanca, e, desde 2017, do projeto de investigação 'Diálogos Ibéricos e Ibero-Americanos (DIIA) – Centro de Estudos Comparatistas (CEC)', da Universidade de Lisboa. A partir de 2019 é coeditora, com Paulo Ricardo Kralik Angelini, de «Navegações. Revista de Cultura e Literaturas de Língua Portuguesa» (PUCRS / CLEPUL).
Os seus trabalhos de investigação focam as Literaturas Galega e Portuguesa e, em especial, a Literatura Brasileira Moderna e Contemporânea e as relações entre as artes e as escritas atuais. Publicou os livros monográficos «A pretensa nostalxia da autoridade – Unha interpretación parcelar de "O porco de pé" de Vicente Risco» (2007, Prémio “Ramón Piñeiro” de Ensaio) e «Nenhum vestígio de impureza – Da necessidade estética na ética e na poética de Sophia de Mello Breyner Andresen» (2013), assim como, já no âmbito concreto dos Estudos Brasileiros, «"Maktub" – Da retórica na ficção de Raduan Nassar» (2006) e «O herói incómodo – Utopia e pessimismo no teatro de Hilda Hilst» (2009), coordenando, com Dirk-Michael Heinnrich e Giancarlo de Aguiar, o volume «Vicente e Dora Ferreira da Silva – Uma vocação poético-filosófica» (2015) e editando, com Carlos Paulo Martínez Pereiro, «Machado de Assis e a 'mundana comédia'. Cinco peças teatrais» (2017). Em 2014, com o ensaio «A linha de sombra de uma suspeita lição de zoologia – Do animal e do humano na narrativa de Lygia Fagundes Telles», obteve o “Prêmio Itamaraty – IV Concurso Internacional de Monografias”, do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Referências

Anderson, B. (2005). Comunidades imaginadas – Reflexões sobre a origem e a expansão do nacionalismo [Imagined communities – Reflections on the origin and spread of nationalism]. Edições 70.
Andrade, M. de (1974). O movimento modernista [The Modernist movement]. Aspectos da literatura brasileira (pp. 123-231). Livraria Martins.
Andrade, O. de. (2005). Manifesto da poesia Pau-Brasil [Manifesto of Pau-Brasil Poetry]. In A. Barros Baptista, & O. M. Silvestre (Orgs.), Seria uma rima, não seria uma solução – A poesia modernista (pp. 230-234). Cotovia.
Bosi, A. (1977). História concisa da Literatura Brasileira [Brief History of Brazilian Literature] (2ª ed.). Cultrix.
Buescu, H. (2013). Experiência do incomum e boa vizinhança. Literatura Comparada e Literatura-Mundo [Experience the uncommon and good neighborhood. Comparative literature and world literature]. Porto Editora.
Chiarelli, S. (2016). Que Brasil existe? Estrangeiros na literatura brasileira [Which Brazil exists? Foreigners in Brazilian literature]. Intelligere, Revista de História intelectual, 2(2), 40-48. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2016.117632
Ferréz (2006). Manual prático do ódio [Practical handbook of hate]. Palavra.
Fontanille, J. & Zilberberg, C. (2001). Tensão e significação [Tension and meaning]. Editora Humanitas.
Glissant, E. (1984). Le discours antillais [The Antillean discourse]. Le Seuil.
Moisés, M. (1989). História da Literatura Brasileira – Modernismo [History of Brazilian Literature – Modernism]. Cultrix.
Martínez Teixeiro, Alva (2012). A centralidade do pictórico na génese do modernismo brasileiro – A pintura e a Semana de Arte Moderna. In E. Ribeiro (Org.), Modernidades comparadas – Estudos literários / Estudos culturais revisitados (pp. 131-160). Edições Húmus / Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho.
Martínez Teixeiro, A. (2013). A plenitude de um vazio em que a pobreza não é mais paisagem: a periferia em Paulo Lins e Ferréz. [The fullness of an emptiness that is not a landscape anymore: the periphery in the novels of Paulo Lins and Ferréz]. Estudos de literatura brasileira contemporânea, (41), 61-86. https://doi.org/10.1590/S2316-40182013000100005
Martínez Teixeiro, A. (2017). Da escrita de um nóis singular plural: espécies de espaços da periferia nas ficções de Iolanda Zúñiga e Rodrigo Ciríaco [From the writing of a singular and plural nóis: Species of spaces from the periphery in the fictions of Iolanda Zúñiga and Rodrigo Ciríaco]. Romance Notes, 57(3), 395-406. https//doi.org/10.1353/rmc.2017.0034
Martínez Teixeiro, A. (2018). O dia 8 de junho de 1931 em São Paulo: A Experiência nº2, de Flávio de Carvalho como emblema de um modernismo outro [The day of June 8, 1931 in São Paulo: The Experiência nº 2 by Flávio de Carvalho, like emblem of another modernism]. Luso-Brazilian Review, 55(2), 36-58. https//doi.org/10.3368/lbr.55.2.36
Martínez Teixeiro, A. (2020). Hélio Oiticica y la blanca singularidad simultânea de Newyorkaises [Hélio Oiticica and the white simultaneous singularity of Newyorkaises]. Estudios Filológicos, 66, 93-112. http://dx.doi.org/10.4067/S0071-17132020000200093
Naves, R. (1999). Uma espécie de origem [A sort of origin]. In Nuno Ramos (Catálogo) (pp. 19-25). Centro de Arte Hélio Oiticica / Museu de Arte de São Paulo.
Oiticica, H. (1974). Lendo Gertrude Stein [Reading Gertrude Stein]. Programa Hélio Oiticica (Número de tombo 0351/72) [versão eletrónica]. Itaú Cultural. http://legacy. Icnetworks.org/extranet/enciclopédia/ho/índex.cfm?fuseaction=documentos&cd_verbete=4486&cod=491&tipo=2
Oiticica, H. (1980). Entrevista com Hélio Oiticica [Interview with Hélio Oiticica]. Programa Hélio Oiticica (Número de tombo: 0059/80) [Anexos. Adenda da entrevista. Datilografado em 14/02/1980] Itaú Cultural. http://legacy. Icnetworks.org/extranet/enciclopédia/ho/índex.cfm?fuseaction=documentos&cod=76&tipo=2
Ouellet, P. (2003). L’esprit migrateur. Essai sur le non-sens commun [The migratory spirit: An essai on common non-sense]. Trait d’union.
Patrocínio, P. R. do. (2010). Escritos à margem: a presença de escritores de periferia na cena literária contemporânea [Writings from the Outside: the presence of writers from the periferia (shantytown suburbs) in the contemporary literary scene]. [Tese de Doutoramento, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro] Repositório da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=16720@1
Pellegrini, T. (2001). Ficção brasileira contemporânea: assimilação ou resistência [Contemporary Brazilian fiction: assimilation or resistance?. Novos rumos (35), 54-64. https://doi.org/10.36311/0102-5864.16.v0n35.2221
Perkins, D. (1992). Is Literature History Possible?. Johns Hopkins University Press.
Picchio, L. S. (1997). Storia della letteratura brasiliana [The History of Brazilian Literature]. Einaudi.
Scramin, S. (2000). Conversa com Milton Hatoum [A talk with Milton Hatoum]. Revista Babel, 1(1), 6-15.
Tennina, L. (2013). Saraus das periferias de São Paulo: poesia entre tragos, silêncios e aplausos [Saraus from São Paulo’s periphery: poetry between drinks, silences and palms]. Estudos de literatura brasileira contemporânea (42), 11-28. https://doi.org/10.1590/S2316-40182013000200001
Trigano, S. (2001). Le temps de l’exil [The time of exile]. Payot.