https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/issue/feed Herança - Revista de História, Património e Cultura 2020-10-20T00:54:09-04:00 Ponteditora, Sociedade Unipessoal Lda. geral@ponteditora.org Open Journal Systems <p>Revista dedicada ao estudo da História, Património e Cultura. Abrange várias vertentes do conhecimento, desigandamente: História, Arqueologia, Arquitetura, História da Arte, Teoria da Arte, Museologia e Museografia, Estudos Curatoriais, Inventário e salvaguarda do Património, Ciências do Património, Conservação e Restauro, Gestão e Estudos da Cultura e Turismo Cultural. Dissemina estudos de perspetiva alargada e pluridisciplinares, que se destaquem pela sua qualidade e originalidade. Os artigos científicos são publicados em Português, para a CPLP e Diáspora de língua portuguesa no mundo.</p> https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/266 Revista Herança Vol 3 N1 2020-10-20T00:52:32-04:00 Ponte editora geral@ponteditora.org <p>Nada faria supor aquando da publicação do anterior volume que o mundo fosse assolado por tão dramática pandemia – a COVID 19 - que num ápice atingiu o mundo inteiro. A nota mais expressiva de pesar pelas mortes registadas que possamos querer deixar patente ficará sempre muito aquém da tragédia humana sentida; sem precedentes, se atendermos ao facto da velocidade inédita a que se propagou, numa escala global e, mediaticamente, monitorada ao minuto.</p> 2020-10-19T17:10:34-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/274 Editorial Herança 2020-10-20T00:52:08-04:00 Isabel Lousada geral@ponteditora.org <p>Nada faria supor aquando da publicação do anterior volume que o<br>mundo fosse assolado por tão dramática pandemia – a COVID 19 -<br>que num ápice atingiu o mundo inteiro. A nota mais expressiva de<br>pesar pelas mortes registadas que possamos querer deixar patente<br>ficará sempre muito aquém da tragédia humana sentida; sem<br>precedentes, se atendermos ao facto da velocidade inédita a que se<br>propagou, numa escala global e, mediaticamente, monitorada ao<br>minuto.</p> 2020-10-19T17:34:46-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/175 Inventário dos 53 fornos de pão comunitários de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro (2014-2017) - Os fornos dos “lugares fixos” – parte 3 2020-10-20T00:52:57-04:00 Diana Alexandra Simões Carvalho dianacarvalho.pt@gmail.com <p><strong>Resumo</strong></p> <p>Este último segmento do inventário dos 53 fornos de pão comunitários de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro está dedicada aos 7 fornos situados nos "lugares fixos" (600-1000mts) de Castro Laboreiro, e aos 2 fornos de Lamas de Mouro, freguesia em União com Castro Laboreiro, desde a reforma administrativa de 2013.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Inventário, Fornos de Pão, Castro Laboreiro, Lamas de Mouro, Melgaço, Parque Nacional da Peneda-Gerês.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Abstract<br></strong>The last segment of the inventory article of the 53 communal bread ovens of Castro Laboreiro and Lamas de Mouro is dedicated to the 7 ovens located in the "lugares fixos" (600-1000mts) of Castro Laboreiro, and the 2 ovens of Lamas de Mouro, a parish in union with Castro Laboreiro, since the administrative reform of 2013.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Key-words: </strong>Inventory, Bread Ovens, Castro Laboreiro, Lamas de Mouro, Melgaço, Parque Nacional da Peneda-Gerês.</p> 2020-10-19T17:09:35-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/238 A iluminação no Chalet do Estoril ao tempo da rainha D. Maria Pia 2020-10-20T00:54:09-04:00 António Cota Fevereiro antoniofranciscocotafevereiro@gmail.com <p>Resumo</p> <p>No ano de 2018 publicamos a primeira obra dedicada à iluminação da Casa Real, onde disponibilizamos documentação referente às obras, à encomenda de projetos de arquitetura e à aquisição de luminária pela rainha D. Maria Pia para o seu Chalet do Estoril. Nesse mesmo ano tivemos acesso ao interior do edifício onde verificamos a possível colocação das peças para iluminação. Suposição corroborada pelo cotejamento com o Inventário do Real Chalet Estoril, que nos permitiu entender como estas peças foram criteriosamente escolhidas para uma determinada decoração. São estas novas reflexões e a realização de duas plantas dos pisos principais, ao tempo da monarquia, que aqui damos a conhecer.</p> <p>Palavras-chave: Família Real Portuguesa, Arquitetura de veraneio, Artes Decorativas, Atelier, Luz</p> <p>Abstract</p> <p>In 2018, we published the first work concerning the Portuguese Royal Court lighting. Where we gathered information regarding Queen Maria Pia order of ironstone works, architectural projects and the purchase of lighting fixtures for her Chalet of Estoril. During that same year, we had access to the interior of the building and realized how those lighting fixtures might have been placed. This assumption was confirmed when we collated the Inventário do Real Chalet Estoril (Royal Chalet Estoril Inventory). Which, allowed us to understand how those pieces were carefully chosen for a specific decoration. What we present here is these new considerations and the creation of the two main floor plans at the time of the monarchy.</p> <p>Key words: Portuguese Royal Family, Seaside Architecture, Decorative Arts, Studio, Light </p> 2020-10-19T17:02:16-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/231 Bibliófilas, sim! Breves apontamentos sobre duas bibliotecas de mulheres brasileiras 2020-10-20T00:53:45-04:00 Fabiano Cataldo barleus@gmail.com Elisangela Silva da Costa bibliofila@gmail.com Katia Leal da Silva kl.silva50@gmail.com <p>Resumo<br>O colecionismo de livros por mulheres é a tônica deste artigo. Para tanto, foram feitas reflexões à luz de autores, como: Quentin-Bauchart (1886), Roberts (1895), Cim (1901), Darnton (1992), Courceles e Júlian (1999), Azevedo (2010), Palma Peña (2013), Bessone (2014), Hastings (2014) e Melo (2018). Do ponto de vista metodológico, foi realizado o estudo de dois casos: a bibliófila paraense Annunciada Chaves e a bibliófila gaúcha Salete Maccalóz, cujas trajetórias serão analisadas segundo os seguintes aspectos: do nascimento e morte; formação; inserção social e interesse pelos livros até o destino de suas bibliotecas; características de suas bibliotecas, ilustrando peculiaridades bibliofílicas. Para conclusão, nosso objetivo é modesto, qual seja, contribuir para expandir de algum modo a temática no sentido de a não causar tanto estranhamento, a termos como: “Bibliófila”; “Biblioteca de Mulher”; “Mulheres e Colecionismo” etc.</p> <p>Palavras-chave: Bibliofilia feminina. Colecionismo. Patrimônio bibliográfico.</p> <p>Abstract<br>The collection of books by women is the keynote of this article. For this, reflections were made in the light of authors, such as: Quentin-Bauchart (1886), Roberts (1895), Cim (1901), Darnton (1992), Courceles and Júlian (1999), Azevedo (2010), Palma Peña (2013), Bessone (2014), Hastings (2014) and Melo (2018). From a methodological point of view, the study of two cases was carried out: the Paraense bibliophile Annunciada Chaves and the Gaúcha bibliographer Salete Maccalóz, whose trajectories will be analyzed according to the following aspects: from birth and death, training, social insertion and interest in books until the destination of their libraries, characteristics of their libraries, illustrating the bibliographic characteristics. In conclusion, our objective is modest, that is, to contribute to expand the theme in some way so as not to cause such strangeness as words: “Bibliophile”; “Women's Library”; “Women and Collecting” etc.</p> <p>Keywords: Women Collectors. Bibliophile. Documentary heritage</p> 2020-10-19T17:05:14-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura https://revistas.ponteditora.org/index.php/heranca/article/view/211 O Patrimônio documental baiano: descrição material de documentos do século 19 2020-10-20T00:53:21-04:00 Alícia Duha Lose Alicia.lose@ufba.br Vanilda Salignac Mazzoni vanildasalignac@gmail.com <p><strong>Resumo</strong></p> <p>Este artigo trata da identificação de manuscritos antigos com <em>status</em> de documentos históricos a partir do olhar da prática cotidiana do Ateliê de Conservação e Restauração Memória e Arte, localizado na cidade do Salvador, Bahia, Brasil. A intenção é mostrar a importância da inventariação a partir da descrição do suporte partindo de elementos presentes nos documentos e que não nos deixam dúvidas de sua importância e da necessidade de conservá-los e protegê-los enquanto patrimônio documental. Utilizou-se como referência documentos manuscritos tratados pelo referido Ateliê e que foram produzidos entre os séculos 18 e 19, sem nenhuma intenção de serem classificados com valoração histórica, mas que com o passar dos séculos se tornaram documentos relevantes, o que significa que a perda nos levará a uma lacuna &nbsp;na nossa história, portanto, sem poder de descarte tal qual se faz com determinados documentos arquivísticos.</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Manuscrito. Bahia. Inventário. Doocumento histórico.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Abstract</strong>&nbsp;This article deals of the identification of old manuscripts with historical document status from the perspective of the daily practice of the Atelier of Conservation and Restoration Memória e Arte, located in the city of Salvador, Bahia, Brazil. The intention is to show the importance of the inventory based on the description of the support, starting from elements present in the documents and which leave us in no doubt of their importance and the need to preserve and protect them as documentary heritage. It was used as a reference manuscript documents treated by the referred Ateliê and that were produced between the 18th and 19th centuries, with no intention of being classified with historical value, but that over the centuries have become a relevant document, which means that their loss will lead us to a gap in our history, therefore, without the power to discard such as is done with certain archival documents.</p> <p><strong>Keywords</strong>: Manuscript. Bahia. Inventory. Historical document.</p> 2020-10-19T17:07:38-04:00 Direitos de Autor (c) 2020 Herança - Revista de História, Património e Cultura