Gestão de Emoções na Mediação

Emotions Management in Mediation

  • Marta Ribeiro Sousa Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa (Mestrado em Mediação)
Palavras-chave: comportamento emocional, mediação, auto-conhecimento, bom impacto e confiança.

Resumo

O trabalho que aqui se apresenta tenta demonstrar a importância do comportamento emocional. Este comportamento está sempre presente, em nenhum momento o nosso cérebro emocional é absolutamente desligado. O que tentamos com este trabalho é verificar a relação das emoções na mediação. Para tal, sentimos a necessidade de abordar essa relação de forma tripartida.

Em primeiro lugar, da perspetiva emocional do mediador. Se é verdade que este é imparcial, menos verdade não será dizer que é, como todos os seres humanos, um ser emocional e deve ser dono de um auto-conhecimento avançado para se certificar que o seu sistema emocional não interfere com o bom desempenho da tarefa de mediador.

Em segundo lugar, da perspetiva emocional do mediado. Como é que as emoções principais são expressas, como é que o mediador as pode reconhecer e apaziguá-las ou potenciá-las?

Em terceiro lugar, da relação das emoções do mediador e das emoções do mediado. Vamos tentar perceber como é que o mediador pode causar um bom impacto e transmitir confiança. Também como é que o mediador pode aplicar técnicas de comunicação para manter essa confiança e desempenhar um papel competente.

Publicado
2020-05-20