JIM - Jornal de Investigação Médica https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim <p>Revista fundada com missão a divulgação e&nbsp;publicação de&nbsp;trabalhos científicos originais e de revisão na área da Biomedicina, abrangendo várias áreas do conhecimento dos profissionais da área da saúde, no sentido de ajudar os mesmos a tomar melhores decisões. O publico alvo são: estudantes, professores, investigadores e profissionais. Publica artigos escritos em Português, de forma a poder contribuir para o desenvolvimento da investigação em saúde e medicina na CPLP e na Diáspora de língua portuguesa no mundo. Explora diversos temas, do tratamento à prevenção da doença.</p> Ponteditora pt-PT JIM - Jornal de Investigação Médica 2184-7509 Jornal JIM https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/228 <p>Edição Completa v. 1 n. 1</p> Ponte editora Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-30 2020-04-30 1 1 1 60 Editorial https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/227 <p>Editorial v. 1 n. 1</p> Diego Viana Gomes Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 12 13 Mecanismos Intracelulares da Hipertrofia Muscular: Por que o Músculo Aumenta de Tamanho quando Realizamos Exercícios com Pesos? Uma Revisão de Literatura https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/208 <p>A busca pelo aumento da massa magra é um desejo de grande parte da população. Muitas pessoas procuram a academia para levantar pesos e aumentar o tamanho dos músculos. No entanto, grande parte desse público não sabe quais são os mecanismos que promovem essas modificações e terminam abandonando o programa de hipertrofia muscular antes de alcançar os resultados desejados. Foi demonstrado que muitos fatores mediam o processo hipertrófico, e a maioria é induzido pelo exercício, tais como tensão mecânica, dano muscular e estresse metabólico. Portanto, o objetivo deste artigo é descrever as principais vias de sinalização envolvidas na hipertrofia, ou aumento da área de sessão transversa do músculo.</p> Fabio Cahue Stephan Pinheiro Frankenfeld Aline Yamashita Diego Viana Gomes Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 14 25 O exercício físico como tratamento e prevenção de doenças cardiovasculares https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/203 <p>O exercício físico tem se mostrado uma importante terapia no tratamento de doenças cardíacas, diabetes e obesidade. O objetivo desta revisão foi descrever o efeito cardioprotetor do exercício aeróbio. As principais adaptações do treinamento aeróbio são aumento do débito cardíaco máximo, permitindo maior preenchimento dos ventrículos e consequente maior volume sistólico; a capacidade de perfusão do músculo é aumentada, permitindo maior liberação de oxigênio; as artérias, arteríolas e os capilares se adaptam em estrutura e número; os diâmetros das artérias aumentam, minimizando a resistência ao fluxo. Todas essas adaptações levam a diminuição do risco de morte por doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte no mundo, o exercício físico pode ser utilizado como coadjuvante no tratamento não medicamentoso e na prevenção de doenças do sistema cardiovascular.</p> <p>Palavras-chave: exercício; doença cardiovascular; exercício aeróbio; remodelamento vascular.</p> <p><strong>Abstract</strong></p> <p>Physical exercise has proven to be an important therapy in the treatment of heart disease, diabetes and obesity. The purpose of this review was to describe the cardioprotective effect of aerobic exercise. The main adaptations of aerobic training are increased maximum cardiac output, allowing greater filling of the ventricles and a consequent greater stroke volume; the muscle's perfusion capacity is increased, allowing greater oxygen release; the arteries, arterioles and capillaries adapt in structure and number; artery diameters increase, minimizing flow resistance. All of these adaptations lead to a decrease in the risk of death from cardiovascular diseases, which are the main cause of death in the world, physical exercise can be used as an adjunct in non-drug treatment and in the prevention of diseases of the cardiovascular system.</p> <p>Cardiovascular Physiological Phenomena; Exercise/physiology; Physical Conditioning, Vascular Remodeling; Aerobic exercise</p> Camilli Fernanda Martins-Santos Diego Viana Gomes Veronica Salerno Pinto Luciane Claudia Barcellos Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 26 33 Jejum intermitente e exercício físico: Efeitos crônicos em parâmetros de composição corporal e de desempenho físico https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/212 <p>O jejum intermitente é uma estratégia dietética, caracterizada por modificações alimentares que envolvem períodos regulares de ingesta calórica intercaladas com abstenção dietética com duração superior a um jejum típico durante o sono noturno. A literatura mostra que a combinação do jejum com a realização de exercícios físicos é capaz conferir alterações metabólicas e redução da adiposidade corporal, contudo, pode causar efeitos negativos no desempenho físico. O objetivo do presente trabalho é apresentar resultados de pesquisas atuais que avaliaram o impacto das referidas intervenções sobre parâmetros antropométricos e de desempenho físico. Para tal, foi realizado um levantamento bibliográfico na base de dados <em>Pubmed. </em>Após análise dos 4 artigos selecionados, constatou-se que a combinação crônica do jejum intermitente com exercícios físicos promove melhorias na composição corporal e não compromete o ganho ou a manutenção do desempenho físico. Entretanto, intervenções mais curtas, com modelos de jejum que promovam déficit calórico sem uma adequada ingestão de proteína parece afetar negativamente o desempenho físico e mitigar o ganho de massa magra.</p> Iordan Ferreira Miranda Everton Luis Dos Santos Cardoso Verônica Salerno Pinto Paula Guedes Cocate Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 34 43 Treinamento de Força e Autonomia Funcional: Estudo Comparativo entre Idosas Praticantes e Não Praticantes, Prescritos Por Zona de Repetição Máxima https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/177 <p><strong>Introdução</strong>: O envelhecimento é um processo dinâmico e irreversível, no qual ocorrem modificações morfológicas e fisiológicas do organismo. Essas modificações podem comprometer a autonomia funcional do idoso, tornando-o dependente na prática da atividades de vida diária (AVDs). O treinamento resistido parece exercer efeito na recuperação da capacidade de realização das AVDs. <strong>Objetivo:</strong> avaliar o efeito de 8 semanas de treinamento resistido na autonomia funcional dos idosos. <strong>Materiais e métodos</strong>: A amostra foi constituída por 12 idosos, divididos em dois grupos: Grupo Força (GF) com média de idade de 74,5 anos (±4,13) e Grupo Controle (GC) com média de idade de 64,3 anos (±4,50). O treino proposto para o GF foi: cadeira flexora, cadeira extensora e <em>leg press</em>, supino articulado, puxada na polia alta e abdução lateral, três vezes por semana e para cada exercício, 3 séries com carga de 8 a 12 repetições máximas. Na avaliação da automia funcional foi utilizado o protocolo do Grupo de Desenvolvimento Latino Americano para a Maturidade (GDLAM), sendo realizada duas avaliações-testes (T1 e T2) em ambos os grupos com intervalo de 8 semanas. A análise estatística foi feita por meio do teste t de <em>Student </em>para amostras não pareadas, utilizando o programa Prisma 5.0. <strong>Resultados</strong>: a média do tempo de execução dos testes para o GF diminuiu após 8 semanas de treinamento apresentando diferenças significativas (*p&lt;0,05). O GC apresentou aumento no tempo de execução dos testes LCLC, C10m e LPS. <strong>Conclusão</strong>: o treinamento resistido promove melhora da autonomia funcional em idosos.</p> Fillol Delfino Faria Johan Reis de Carvalho Bethanea Tostes do Couto de Carvalho Rodrigo Cunha de Mello Pedreiro Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 44 51 Resposta na economia de corrida após o ciclismo em triatletas https://revistas.ponteditora.org/index.php/jim/article/view/224 <p>O triathlon caracteriza-se por ser um esporte múlti­plo, composto por três modalidades: natação, ciclismo e corrida que ocorrem nessa ordem e em sequência. Cada modalidade é influenciada pela que a antecede, em especial a corrida, que ocorre após os membros inferiores sofrerem a fadiga do ciclismo. Objetivo: O objetivo desta revisão foi avaliar o efeito da fadiga promovida pelo ciclismo no desempenho da corrida em uma prova de triathlon olímpico. Método: a busca foi realizada nas bases de dados: Scielo, Pubmed e Google Acadêmico. (palavras chaves: running; triathlon; cycling; performance). Resultado: a economia de corrida sofre influência do ciclismo, e os fatores que mais influenciam são: a cadência, o baixo nível de condicionamento, depleção de substratos energéticos, pouca experiência nas provas de triathlon e desidratação.</p> Natã Chaves Cicero Freitas Rodrigo Milazzo Diego Viana Gomes Direitos de Autor (c) 2020 JIM - Jornal de Investigação Médica 2020-04-29 2020-04-29 1 1 52 60