O absenteísmo e Conflitos Sociais nas Organizacoes: Caso da Empresa Novos Horizontes.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rénio Mole
https://orcid.org/0000-0002-2573-0558

Resumo

Absenteísmo e conflitos sociais é o tema que se desenvolveu neste trabalho, com o objectivo de analisar os factores que determinam as recorrentes ausências dos trabalhadores no local de trabalho, tendo em conta os componentes do sistema funcional. Tem como objectivos específicos, identificar que factores influenciam nas recorrentes ausências dos trabalhadores no local de trabalho; saber as consequências que estas recorrentes ausências trazem para a empresa no processo de desenvolvimento económico, político, empresarial e finalmente, explicar este fenómeno relacionando com uma ou mais teoria sociológica. No final da pesquisa conclui-se que a satisfação e motivação em relação ao trabalho e remuneração são factores que influenciam na recorrente pratica do absenteísmo na empresa. Estes resultados obteve-se através de método de abordagem quantitativa e qualitativa. Com o objectivo, de explorar e descrever o fenómeno em estudo.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Mole, R. P. N. (2021). O absenteísmo e Conflitos Sociais nas Organizacoes: Caso da Empresa Novos Horizontes. E3 - Revista De Economia, Empresas E Empreendedores Na CPLP, 7(2), 133–154. https://doi.org/10.29073/e3.v7i2.501
Secção
Artigos

Referências

BALFANZ, R., B. (2012). Absenteísmo Crónico: Resumindo o que sabemos dos dados disponíveis Nacionalmente. Centro Universitário Johns Hopkins Para Organização Social Das Escolas., 2a Edição.
BIRNBAUM, P. (1995). “Conflitos” in BOUDON, Raymond (Dir.) Tratado de Sociologia. Tradução Teresa Curvelo. Editora Jorge Zahar, p.247-282.
BONOTTO, Danusa de Lara; KRIPKA, Rosana Maria Luvezute e SCHELLER, M. (2015). Pesquisa Documental: considerações sobre conceitos e características na Pesquisa Qualitativa. In Editora Atlas.
CHANDRASEKAR, K. (2011). Ambiente de Trabalho e seu Impacto no Desempenho Organizacional em Organizações do Sector Público. Revista Internacional de Computação Empresarial e Sistemas de Negócios, 1.
CHIAVENATO, I. (2002). Recursos humanos. Atlas.
CORSETTI, B. (2006). A análise documental no contexto da metodologia qualitativa: uma abordagem a partir da experiência de pesquisa do Programa de Pós- Graduação em Educação da Unisinos. Unirevista.
DURKHEIM, É. (1999). Da divisão do trabalho social, Trad. de Carlos Brandão. Editora Martins Fontes.
EASTON, J. (2005). Análise de absenteísmo no serviço operatório. Uma análise feita nas Intimações Europeias. Alfa-Omega.
ENGELS, F. (2005). O papel desempenhado pelo trabalho na transição do macaco ao homem. In: MARX, K; ENGELS, F. Obras Escolhidas. Alfa-Omega, 2, p.269 280.
FARRINGTON, J. (2007). Como lidar eficazmente com o absenteísmo. S/Ed.
GIL, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (Atlas (ed.)). Atlas.
JOHNS, G., e M. (2015). A confiabilidade, validade e precisão do absenteísmo auto- relatado do trabalho: uma meta-análise. Jornal de Psicologia Da Saúde Ocupacional.
LAKATOS, Eva Maria. MARCONI. (1990). Sociologia Geral. Editora Atlas S.A.
LAKATOS, E. M. M. (2006). Fundamentos de metodologia científica. Editora Atlas.
LEE, J. E. (1990). Tipos de absenteísmo e Politica de Efectividade. Billerica.
MALLADA, R. (1996). A gestão de absentismo laboral. Editorial Altas.
MARX, K. (1985). O Capital: crítica da economia política. Tradução por Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. S/Ed.
NASCIMENTO, E. P. do. (2001). Os conflitos na sociedade moderna: uma introdução conceitual. In: BURSZTYN, Marcel (org). A difícil sustentabilidade: política energética e conflitos ambientais. Editora Garamond, 85–105.
NEVES, A. L. (1998). Motivação para o trabalho: dos conceitos às aplicações. Editora Artes Gráficas.
Parsons, T. (1967). Teoria Sociológica e Sociedade Moderna. The Free Press, 564 pp.
PRODANOV, C. C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico] métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo.
SAÚDE EUROPEIA. (2011). Banco de Dados Europeu de Saúde para Todos. (HFA-DB).
SILVA(a), T. (2011). Nascimento da Justiça e democracia na perspectiva da teoria política normativa contemporânea. Revista de Teoria Política, 1, 227–249.
SOUTO, D. F. (1980). Absenteísmo, preocupações constantes das organizações. GRIDIS.
VERGARA, S. (Org. . (2003). Gestão com Pessoas e Subjetividade. Editora Atlas.
WEBER, M. (2012). Economia e sociedade. Trad. Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. Revisão Técnica de Gabriel Cohn, 1.